quinta-feira, 1 de abril de 2010

Os outros heróis Mórmons - parte 1

No início das minhas postagens aqui no blog, eu publiquei um video de uma apresentação em powerpoint feito por John Dehlin, um SUD de Utah que mantêm um blog de podcasts chamado Mormon Stories que é uma forma de publicação de arquivos de mídia digital, áudio ou vídeo por exemplo. Como o video está em inglês, fiquei devendo uma tradução do seu conteúdo para possibilitar mais pessoas que falam a nossa língua possam ter acesso a este tipo de material. Como a apresentação é extensa, resolvi dividir a publicação de sua tradução em partes, assim é mais fácil acompanhar as idéias, pesquisar e participar nos comentários, aqueles que quiserem. Sem mais delongas, com voces a parte 1 do artigo "Os outros heróis mórmons".

Vamos começar pensando em alguns dos tradicionais heróis na América, os quais a maiorida dos americanos já conhece. Temos pessoas como George Washington, Thomas Jefferson, Betsy Ross, Abraham Lincoln. Quando olhamos para trás e vemos estas figuras históricas da forma como fomos ensinados a respeito, nós olhamos para elas como pessoas fortes, respeitadas, cheias de integridade que lutaram pela américa e pelos americanos, eles foram bem sucedidos em seus esforços, eles ajudaram a América a ser um lugar melhor.

Mas esta não é toda a estória completa, nós também sabemos que muitos deles, tinham fraquezas, que Abraham Lincoln era depressivo, que ele embarcou numa guerra que matou milhares de americanos e que talvez pudesse ter feito algumas coisas de forma diferente. Thomas Jefferson teve filhos com uma escrava.

Mas o que eles compartilham em comum é que viveram ha cerca de 150 anos atrás, a história tem sido boa com eles e prestamos respeito a eles por várias boas razões. Mas há também heróis americanos não-tradicionais e a maioria deles dos tempos atuais que também merecem nosso respeito. Pense sobre pessoas como Elisabeth Katie Stanton que ajudou a lutar contra os poderes da instituição para que as mulheres pudessem votar, nós não ouvimos muito sobre ela, ou Upton Sinclair um reformador social que lutou contra os males causados pelas  fábricas de embalagens de enlatados de carne. Ou ainda Edward Murrow, um pioneiro das transmissões de notícias pela televisão, Murrow produziu uma série de reportagens televisivas que conduziram à censura do Senador Joseph McCarthy, e sua consequente decadência, bem como a reversão de parte das perseguições políticas que provocou. E também Rosa Parks, foi uma costureira  negra norte-americana, símbolo do Movimento dos Direitos Civis. Ficou famosa, em 1º de dezembro de 1955, por ter-se recusado frontalmente a ceder o seu lugar no ônibus a um branco, tornando-se o estopim do movimento que foi denominado Boicote aos ônibus de Montgomery e posteriormente viria a marcar o início da luta antissegregacionista. E também Malcolm X que foi um dos maiores defensores dos direitos dos negros nos Estados Unidos. Fundou a Organização para a Unidade Afro-Americana, de inspiração socialista. E também Ralph Nader, diplomado pelas universidades de Harvard e Princeton (respectivamente em 1955 e 1958) tornou-se célebre pelas suas campanhas a favor dos direitos dos consumidores nos anos 60 desenvolvidas em conjunto com a associação Public Citizen. Promoveu a discussão de temas como os direitos dos consumidores, o feminismo, o humanismo, a ecologia  e a governação democrática. Nader criticou duramente a política internacional exercida pelos Estados Unidos nas últimas décadas, que vê como corporativista, imperialista, contrária aos valores fundamentais da democracia  e dos direitos humanos. O seu activismo foi de grande importância na criação de grandes organizações governamentais e não governamentais estadunidenses.

Todas estas pessoas foram chamadas de liberais, radicais, perigosos ou até anti-americanos em seus dias, mas eles também compartilham de vários aspectos positivos: lutaram contra uma tradicional e poderosa estrutura na América em que não foram bem recebidos, eles foram contrários as idéias dos conservadores e defensores da América. Eventualmente eles foram bem recebidos pelos progressistas, mas não imediatamente em muitos casos, mas eles estavam desejosos de lutar contra desconfortáveis  problemas internos deste país. E muitos deles sofreram muito por causa de sua posição contrária e acredito que podemos todos concordar que eles estavam a frente de seus tempos em muitos aspectos.

Bem, vamos tomar isto como exemplo e comecemos a pensar no que achamos dos tradicionais heróis mórmons. Pense em pessoas como Joseph Smith, Elisa R. Snow e Mary Fielding Smith e Brigham Young e David O. Mackey e hoje também o presidente Gordon B. Hinckley. Estes todos são heróis! Mas eles todos compartilham das mesmas vantagens dos primeiros heróis no início do meu artigo. Eles representam a instituição, eles definitivamente trabalham duro para manter-se firmes e fiéis a instituição, neste caso, a Igreja, eles trabalham na instituição para melhorar as coisas, eles tem sido bem recebidos e aceitos pela instituição historicamente e eles foram pessoas brilhantes e admiráveis  merecendo assim muito do nosso respeito. Mas há outros heróis SUD não-tradicionais, na mesma esteira de Malcolm X , Elisabeth Stanton ou Edward Murrow que também merecem nosso respeito, este é o motivo desta minha apresentação.

Primeiramente queria apresentar alguns avisos aos navegantes:
Algumas das coisas que apresento em meu artigo, envolve um discussão de conflito entre a Igreja e membros, usarei algumas citações de líderes da igreja palavra por palavra e por este motivo algumas pessoas não se sentem a vontade com este tipo de discussão franca sobre líderes da Igreja SUD, mas deixe-me lembrar o que os próprios líderes da Igreja disseram em 2007:

"A Igreja recebe bem  a curiosidade...[mas] não todas as afirmações feitas por um líder da Igreja, no passado ou presente, constitui necessariamente doutrina. A única afirmação feita por um único líder em uma única ocasião representa muitas vezes uma questão pessoal, embora bem considerada, a opinião, mas não é para ser oficialmente obrigatório para toda a "Igreja". (Approaching Mormon Doctrine,  LDS Church, Newsroom,  4 de maio de 2007)

Share/Bookmark

0 comments:

Postar um comentário