quarta-feira, 6 de abril de 2011

Porque as pessoas se afastam? (parte 3)


Agora, gostaria de dar uma introdução às maiores questões que uma pessoa pode chegar em relação à Igreja, mas antes gostaria de dar três importantes avisos:


 
  • Tudo o que eu apresento aqui pode ser facilmente comprovado através de publicações feitas pela Igreja. Não trago nada através de pessoas que se opõe ao profeta, nada disto é material anti-mórmon
  • Em nenhum momento culpo os irmãos ou as Autoridades Gerais. Creio que a maioria das questões aqui são de caráter dos membros não da liderança.
  • Nada que eu mostro nesta apresentação prova que a Igreja não seja verdadeira.
O que eu aprendi crescendo na Igreja à respeito de Joseph Smith?

  • Era um garoto puro e inocente
  • Recusou álcool durante uma cirurgia em sua perna
  • Viu Deus e Jesus Cristo no bosque sagrado
  • Traduziu o Livro de Mórmon usando o Urim e Tumim
  • Teve uma esposa – Emma Smith, nunca ouvi sobre nenhuma outra
  • Foi falsamente acusado e perseguido várias vezes
  • Foi levado a prisão de Carthage como “um cordeiro para o abatedouro”
  • Nenhum outro homem fez mais pela salvação dos homens depois de Jesus que Joseph Smith
Uma vez que você se propõe a estudar a história da Igreja e seus documentos você descobre que,

A História e os fatos nos dizem a respeito de Joseph Smith(Depois das coisas boas que sabemos sobre Joseph Smith, também sabemos que:)

  • Joseph Smith usou uma pedra mágica, também chamada de pedra vidente para ajudar pessoas a encontrar tesouros escondidos na terra (muitas fontes). Ele próprio admitiu isso, não é especulação, é um fato. Qualquer historiador da Igreja ou Autoridade irá confirmar que isso é verdade. Este foi o motivo dos primeiros processos em corte judicial envolvendo o profeta.  Pessoas processaram Joseph Smith e é algo que ninguém fala à respeito.
  • A própria Primeira Visão, tem várias versões distintas, aonde numa ele menciona que viu apenas Cristo, não menciona Deus e que a cada vez que ele reconta a história e decide escrevê-la em cada versão a experiência vai se tornando cada vez mais elaborada, cheia de detalhes e muda muito em relação a primeira versão. Creio que estas diferenças entre as versões são muito significantes por se tratarem de um evento tão importante porque não foi apenas uma única versão. A versão que temos hoje em dia publicada em Doutrina & Convênios é a última datada de 1838, 18 anos após o evento.
  • A mesma pedra vidente que Joseph Smith utilizava para encontrar os tesouros escondidos ele usou para traduzir o Livro de Mórmon - pedra dentro do chapéu com seu rosto dentro para ver os caracteres e as placas não ficavam à vista. (ver Russel M.Nelson) e para alguns esta informação pode ser chocante, pois porque ele precisaria das placas então se era só ver os caracteres aparecendo da pedra vidente? Porque ele colocaria o rosto dentro do chapéu? Niguém nunca me disse isso, mas essa foi a maneira que aconteceu.
  • Joseph Smith bebeu cerveja e vinho quando adulto (tirado do seu próprio diário) a palavra de sabedoria não era tida como lei ou mandamento. Ele mesmo bebeu vinho na noite anterior ao seu martírio quando preso em Carthage.
  •  Joseph Smith teve 30 esposas, se você faz uma pesquisa no FamilySearch.org da Igreja ele confirma este fato e algumas destas esposas já eram casadas com outros homens na ocasião que ele foi selado à elas, e estes homens eram vivos. Imaginem se eu procurasse a esposa de alguém e lhe dissesse case-se comigo e não diga ao seu esposo, como seria esta situação? Este é o tipo de coisa que os documentos da época nos dizem, são fatos. Algumas destas mulheres eram adolescentes na época em que se casaram e você pode se perguntar porque Joseph Smith estivesse se casando com moças tão jovens assim por exemplo.
  • Joseph Smith sempre negou a poligamia publicamente (ver Elder Oaks), isto pode ser perturbador para muitas pessoas.
  • O segundo conselheiro da presidência da Igreja largou seu cargo e abriu um jornal, o Nauvoo Expositor aonde expunha a poligamia de Joseph e o levou a mandar destruir sua impressa e culminou na prisão de Joseph Smith e por conseguinte seu martírio (ver Elder Oaks)
Bem, estes são fatos, são bem diferentes da estória que ouvimos quando crescemos na Igreja, nenhuma delas prova que Joseph Smith não tenha sido inspirado por Deus, mas com certeza podem ser chocantes e você pode apostar que seu parente ou amigo mórmon que tenha deixado a Igreja pode ter chegado a estas questões.

Então, que tal o livro de escrituras o Livro de Mórmon? O que aprendemos ao crescer na Igreja?
  •  “Livro mais correto da Terra”
  • Encontrado no Monte Cumôra em Nova Iorque, onde foi enterrado por Morôni
  • História dos Nativos Americanos do norte, centro e sul das Américas e também das ilhas do Pacífico.
Aprendemos também que o Livro de Abraão:
  • Traduzido de papiros egípcios que Joseph Smith obteve.
O que a História/ Fatos parecem nos dizer,  depois de tudo o que é bom que aprendemos no Livro de Mórmon:
  • Já houveram mais de 4 mil mudanças, muitas pequenas, poucas grandes.
  • Geografia. Pessoas tentam explicar aonde se situam as cidades mencionadas no livro, aonde fica esta estreita faixa de terra, águas de mórmon. Ninguém foi realmente capaz de encontrar uma geografia que realmente pudesse mapear o livro.
  • Cumôra, qual Cumôra? Sabemos que Joseph Smith obteve as placas no monte Cumôra em Nova Iorque, mas parece que não bate com a geografia descrita nos arredores do livro com templos, as águas de mórmon e a estreita faixa de terra. E se Moroni estava na América Central, na estreita faixa de terra não parece plausível que ele tenha carregado todas as placas que produziram o Livro de Mórmon consigo até a América do Norte. Alguns tem tentado se utilizar da hipótese de terem havido dois montes Cumôra. Mas o problema é que ao se utlizar de mais e mais teorias começa a parecer que há algum esquema aí.
  • Anacronismos no Livro de Mórmon. Aço nunca foi utilizado pelos povos nativo-americanos. Aonde estão os ossos de milhares de soldados, guerreiros que morreram em batalhas gigantescas? Porque não encontramos várias pilhas de ossos com seus escudos, espadas, capacetes, armaduras e armas? Se encontramos na Europa e na Ásia peças e ossos remanecentes de guerras passadas porque não nas Américas?
  • Cavalos? Não haviam aqui até os Espanhóis os trazerem como são mencionados no Livro de Mórmon. Elefantes? Nunca foram encontradas evidências por aqui.  Cevada, trigo, caledário de sete dias? Do ponto de vista cronológico estes itens não poderiam estar presentes nas Americas, pois foram trazidos pelos Europeus muito posteriormente aos eventos mencionados no Livro de Mórmon.
  • Controvérsia do DNA. Os nativos americanos que foram testados mais de 95% trazem DNA de asiáticos, comprovando que cruzaram o estreito de Bhering e não através de um barco vindos de Israel. Não seriam portando Israelitas. Quem são os Lamanitas? Estas questões são muito importantes e justas. Não é questão de procurar faltas na Igreja, mas se tratam de assuntos vitais, pois se trata da autenticidade da história das américas alegada pelo Livro de Mórmon.
  • Visão dos Hebreus, livro escrito por um pregador na cidade natal de Oliver Cowdery. Não é fácil deixar de considerar a similaridade básica entre este texto e o do Livro de Mórmon, uma vez que na Visão dos Hebreus é mencionada a saga de uma família de israelitas que deixam sua terra e atravessam o oceano em um barco, iniciam civilizações na América, existiam tribos boas e tribos más que lutavam entre si e que os índios americanos seriam os descendentes destes israelitas e foi escrito 5-10 anos antes do Livro de Mórmon . Logo questòes como estas fazem pessoas crentes se perguntarem.
  • E é claro o Livro de Abraão, estudiosos hoje em dia, concordam, incluindo Hugh Nibley que não é uma tradução dos papiros originais. Os papiros originais de Joseph Smith são apenas textos funerários, não há alguma correlação entre os papiros de Joseph e sua tradução descrita no Livro de Abraão em Pérola de Grande Valor.
Estas questões são muito chocantes para alguém se deparar pela primeira vez depois de ter sido criado na Igreja.

(continua)

6 comments:

Daniel disse...

Com relação as várias versões da primeira visão, é interessante considerar o contexto em que foram narradas, o público a que eram dirigidas e a ênfase que o profeta queria dar. A utilizada hoje em dia, foi publicada para justamente pôr fim a essa confusão.
São 2 calendários Astecas conhecidos, o Tonalpohualli e o Xiuhpohualli. Ambos com contagens diferentes, o primeiro com 260 dias, dividido por 20 trezenas (13 dias), cada período dedicado a uma divindade, o segundo, conhecido como "A pedra do sol" era de 360 dias, dividido por 18 períodos de 20 dias cada, também dedicado a divindades. Uma vez que tenha ocorrido a apostasia desses povos, nada mais coerente do que sua contagem do tempo também ser corrompida.
Sobre elefantes, há evidencias sim! Há curioso mural triangular, encontrado no Equador e oficialmente atribuído aos Incas, com caracteres alfabéticos desconhecidos estampados em uma pirâmide com desenhos de elefantes.

Flauber disse...

Olá Daniel,

De fato considerar o contexto em que foram narradas é essencial, mas é importante lembrar que as divergências entre as versões escritas a cada ano diferem em elementos importantes à sua compreensão até a sua versão final datada de 1838(18 anos após o evento da primeira visão)utilizada pela Igreja hoje em dia são muito diferentes. Veja na seção artigos, sobre as várias versões da primeira visão.

Boa menção sobre os calendários Astecas, agora que base de estudo dos povos das Américas você se apoia para afirmar que houve uma apostasia alterando a contagem de tempo? Quais evidências desta alteração? Ou é uma teoria?

Daniel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Daniel disse...

Com relação a contagem do Tempo, é apenas argumentação minha, saio do princípio que houve uma contagem de 7 dias com o fito de adorar a Deus. Com a morte dos Nefitas, a contagem foi alterada para adorar outras divindades.
Interessante ressaltar também que nos EUA foram encontrados um túmulo pré-colombiano em forma de elefante - em Wisconsin, e uma flauta também em forma de elefante/mamute em Iowa.
Em Palenque, na península de Yucatán, também foram encontradas máscaras de elefantes de baixo relevo, os diversos ossos de mamutes, elefantes, leões, tigres, camelos e cavalos primitivos encontrados em toda a América, apesar de nenhum desses animais ali existir quando os espanhóis chegaram. No Museu de História Natural de NY é possível contemplar os fosseis encontrados nas américas.

Anônimo disse...

Em frente e avante mormos.....

alessandra cruz disse...

como vc mesmo disse é bem mais faciíl convencer as pessoas de que aquilo que estão aprendendo e vivendo seja totalmente errado quando as citações,dúvidas,comentários saem da boca de membros tão ativos e fiéis,realmente da até pra acreditar que tudo isso seja explicado devido a preocupação do bem estar dos membros ativos da igreja

Postar um comentário